quinta-feira, 16 de novembro de 2017

DF é a segunda unidade da Federação a ter a CNH Digital

O Distrito Federal é a segunda unidade da Federação a adotar a versão eletrônica da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A princípio, a emissão será gratuita. A CNH Digital só poderá ser fornecida para quem tem carteira com QR Code, um código específico para ser lido por aparelhos eletrônicos. Ele existe na parte interna dos documentos emitidos desde maio. Quem tem a versão antiga, precisará renovar a impressa para, então, solicitar a digital. O lançamento ocorreu nesta quinta-feira (16/11).
Até 1º de fevereiro de 2018, todos os Detrans devem estar aptos a emitir a versão digital. No mês passado, Goiás recebeu o projeto-piloto da CNH Digital. Entre as principais vantagens da CNH Digital estão a praticidade e a segurança, já que o documento eletrônico armazena dados em QR Code, dentro de um sistema criptografado de acesso às informações.
“O código bidimensional é um item de segurança que já está presente, desde maio, nas novas carteiras de motorista impressas e, agora, no documento digital com um sistema ainda mais seguro. Para visualizar a CNH no aplicativo é preciso ter uma senha de quatro dígitos obtida via site do Denatran”, explica a diretora-presidente do Serpro, Glória Guimarães.
Atualmente, mais de 200 mil condutores de veículos do DF, que possuem a CNH em papel com QR Code no verso, podem solicitar suas carteiras digitais. Para o diretor-geral do Detran, Silvain Fonseca, o documento vai facilitar o dia a dia da população do DF, que acaba de ganhar uma forma inovadora, prática e segura de se identificar em qualquer ponto do País utilizando o celular.
O DF possui mais de 1,5 milhão de condutores de veículos que, até 2022, poderão estar com suas carteiras digitais, uma vez que a CNH tem validade de cinco anos. Conforme orientação da área técnica do Detran, quando for renovar a carteira, o condutor que desejar a CNH digital deverá informar o e-mail, o número do celular e o DDD.
Assim, a CNH-e ficará disponível no momento em que o modelo de papel for impresso. Neste ano, até o mês de setembro foram emitidos mais 300 mil documentos no DF, uma média de 33 mil por mês, e, no Brasil, um total de 13 milhões.
Procedimento
O aplicativo da CNH digital já está disponível gratuitamente para download na Google Play e App Store.  Para ter a carteira eletrônica, o motorista deverá possuir habilitação impressa com QR Code, além de estar com os dados devidamente atualizados no sistema do Detran, principalmente o e-mail e o telefone celular com DDD, no qual será visualizada a CNH digital. Essa atualização poderá ser feita via 154 (Call Center do Detran) ou pelo site: www.detran.df.gov.br.

Os condutores que já possuem CNH com QR Code podem solicitar o novo documento direto no portal de serviços do Denatran (https://portalservicos.denatran.serpro.gov.br). A carteira eletrônica substitui a impressa, uma vez que ambas possuem o mesmo valor jurídico. A apresentação da CNH, impressa ou digital, é obrigatória e a falta do documento acarreta multa de R$ 88,38, três pontos na CNH e a retenção do veículo.
Conforme determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), o processo de implementação da CNH Digital nos Detrans do país deverá estar concluído até fevereiro do próximo ano. Desde o lançamento da CNH digital, no início de outubro, já foram feitos mais de 1.800 cadastros no portal do Denatran.
O diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Vincenzi, enfatiza a importância do aperfeiçoamento na segurança da CNH digital para minimizar a ocorrência de fraudes e proporcionar maior comodidade ao cidadão. “Qualquer cidadão e qualquer setor da sociedade poderá ter acesso à comprovação dos dados, seja em uma relação civil ou numa relação empresarial, como as que envolvem bancos, cartórios e empresas de locadoras de veículos”, relata Vincenzi. (Com informações do Detran-DF)
FONTE: METROPOLES

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Saída do PSD da base deixa Rodrigo Rollemberg mais isolado para 2018

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) observa o esvaziamento da base aliada e convive com a possibilidade de chegar às eleições de 2018 marcado pelo isolamento político. Após perder o apoio do PDT, no mês passado, o chefe do Palácio do Buriti teve de lidar, ontem, com o desembarque do PSD - os dois partidos integraram a coligação que o emplacou no comando do GDF. Mas a dor de cabeça pode ser ainda maior: a Rede define, no próximo fim de semana, se rompe ou não com o Executivo local.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Servidor do GDF vai dançar forró em outro Estado com dinheiro público!

Esse governo perdeu completamente a noção da realidade e ultrapassa todos os limites do ridículo, da incompetência e da falta de gestão!

Além de promover uma série de maldades contra a população, como a falta de água, segurança e permitindo que em várias regiões locais, as pessoas passem fome, com o fechamento dos restaurantes comunitários, agora, o governo tá zombando da cara do povo no Distrito Federal.
Desde o primeiro dia em que, assumiu o comando do Buriti, até hoje, Rollemberg usa uma espécie de mantra, a alegação é sempre a "falta de dinheiro." Três anos se passaram e ele repete a mesma desculpa! Mas por incrível que pareça, dinheiro para servidor viajar para outro Estado para ouvir e dançar forró tem em caixa! Dinheiro para comprar remédios e abastecer os hospitais públicos, por exemplo, não tem!

Qual a relevância que isso tem para a população do DF? 

Qual a finalidade do GDF custear um servidor para debater forró em outro Estado? 

O que Brasília ganha com isso?
 
Como é que um governo que alega falta de recursos para as áreas mais complexas da administração pública, permite que uma Secretaria de Estado gaste o dinheiro público com algo tão desnecessário? 

Esse governo inverte as prioridades, gasta errado, investe muito mal!

Governar é escolher, é dizer para onde deve ir o dinheiro do contribuinte.

Quem prioriza gastos e determina onde é mais importante gastar é o governador!

Falta inteligência, competência e humanidade ao GDF.

Irei fazer uma representação junto ao Ministério Público, cobrando explicações e repudiando esse absurdo!

Iremos tentar de todas as formas legais fazer com que esse dinheiro gasto com essa "farra", retorne aos cofres públicos.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

ONU concederá financiamento de até U$S 1 milhão para projetos de combate à violência contra mulher

Até 5 de dezembro, o Fundo Fiduciário da ONU para Eliminar a Violência contra a Mulher recebe propostas de organizações da sociedade civil para projetos de prevenção e erradicação de violações. As solicitações devem requerer um valor de 50 mil a 1 milhão de dólares para ações a serem realizadas num período de três anos.


Até 5 de dezembro, o Fundo Fiduciário da ONU para Eliminar a Violência contra a Mulher recebe propostas de organizações da sociedade civil para projetos de prevenção e erradicação de violações. As solicitações devem requerer um valor de 50 mil a 1 milhão de dólares para ações a serem realizadas num período de três anos.
Serão priorizadas as solicitações de financiamento de instituições que defendem os direitos das mulheres, de organizações dirigidas por mulheres e de pequenas entidades de mulheres. Com esse público-alvo, a seleção espera reconhecer a capacidade desses organismos de atuar como força motriz rumo ao fim da violência.
As propostas devem considerar as três áreas programáticas da estratégia 2015-2020 do Fundo Fiduciário da ONU:
Melhorar o acesso de mulheres e meninas a serviços multissetoriais essenciais, seguros e adequados para acabar com a violência de mulheres e meninas;
Aumentar a efetividade da legislação, políticas, planos de ação nacional e sistemas de prestação de contas, com a finalidade de prevenir e acabar com a violência contra as mulheres e meninas;
Melhorar a prevenção da violência contra as mulheres e meninas por meio de mudanças de conhecimentos, atitudes e práticas.
Acumulando mais de 21 convocatórias desde sua implementação, o Fundo Fiduciário da ONU é um dos principais mecanismos globais de concessão de recursos exclusivamente dedicado a abordar a violência contra as mulheres e meninas em todas as suas formas. No seu marco geral, o fundo definiu duas áreas temáticas de financiamento: violações no contexto dos deslocamentos forçados e violência contra mulheres e meninas com deficiência.
Acesse o sistema para envio das propostas clicando aqui.
Saiba mais sobre o Fundo Fiduciário da ONU para Eliminar a Violência contra a Mulher clicando aqui.
Fonte: ONU

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

GDF gasta milhões da ADASA em plena crise hídrica

Gostaria de trazer mais uma denuncia da incompetência desse governo. A ADASA, foi notificada, sendo obrigada a fornecer informações sobre a omissão em projetos e ações para as políticas de preservação e investimento nas áreas hídricas do DF, sob pena de seus gestores responderem por improbidade administrativa. Mas pasmem, o GDF retirou 200 milhões da ADASA, para gastar em outras áreas como bem queira, ou seja, em plena crise hídrica em Brasília, o governador retira dinheiro de investimentos fundamentais em obras e preservação e ultiliza para outra finalidade, uma total falta de responsabilidade. A ADASA não investiu e não aplicou os recursos por que não quis, mas sim por que não tinha mais dinheiro para gastar. Mesmo existindo uma lei que proíbe essa ação, o GDF respondeu ao MP que possui um decreto que permite com que o governo utilize esses recursos da forma que quiser. É algo primário e básico em direito, um decreto não susta a eficácia de uma Lei. Irei fiscalizar e cobrar uma ação específica por parte do governo nessa situação.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Utilidade Pública - Rede de hospitais oferece oportunidades de emprego no DF

As vagas são para enfermeiros, técnicos em enfermagem, auxiliar de contas médicas, auxiliar administrativo e recepcionista
Google/Metropoles
A Rede D’Or São Luiz está com vagas de emprego no Distrito Federal destinadas a enfermeiros, técnicos em enfermagem, auxiliar de contas médicas, auxiliar administrativo e recepcionista.

Para as vagas de enfermeiro e técnico, o pré-requisito é ter graduação e registro ativo no Conselho Regional de Enfermagem (Coren), sendo desejável experiência assistencial. Para as demais oportunidades, exige-se o ensino médio completo.

Os profissionais irão atuar em uma das unidades que integram a rede no DF: hospitais Santa Luzia, Santa Helena ou do Coração do Brasil.
Entre os benefícios oferecidos, estão planos de saúde e odontológico, além de vale alimentação. Para se candidatar, os interessados devem encaminhar currículo para o e-mail curriculosdf@hsl.com.br – no título, coloque o nome do cargo pretendido.

Utilidade Pública - Escola Superior de Saúde abre mais de 390 vagas para residência

O processo seletivo será dividido em duas fases, a primeira com provas objetivas e a segunda com avaliação curricular

A Escola Superior de Ciências da Saúde já recebe inscrições para o programa de residência. As oportunidades são para médicos de diversas especialidades, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos, entre outras.

No total, há mais de 390 vagas divididas em dois editais da Secretaria de Saúde do DF. O processo seletivo será realizado em duas fases, a primeira com provas objetivas e a segunda com avaliação curricular dos candidatos.
A previsão é que a prova seja no dia 3 de novembro. As inscrições podem ser feitas até 10 de novembro no site do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), no qual estão publicados os dois editais com quadro de distribuição das oportunidades.

Uma análise do DF por Celina Leão

Nesta Segunda (23), o Pelo Mundo DF esteve no gabinete da Deputada Distrital Celina Leão, uma das parlamentares mais atuantes do DF, para uma entrevista, onde podemos fazer um “raio X” dos problemas ocorridos no DF devido a má gestão do então atual  governador.
Sabemos que o Distrito Federal está atravessando um período crucial em sua historia, onde a cidade esta cada vez mais sucateada, deteriorada, abandonada, uma delas é a Crise Hídrica, o DF e cercado por rios volumosos, e córregos e nascentenses, que por falta de fiscalização são destruídas todos os dias, os reservatórios estão secando e nenhuma providencia esta sendo tomada, pois, alem da fiscalização não ha também uma recuperação dos mananciais e nascentes.
Outra situação é a saúde, com a falta de insumos básicos em hospitais, como luvas e máscaras; nas longas filas à espera de atendimento; na falta de combustível em ambulâncias, que carregam vidas. Passa pela sensação de insegurança gerada pelos aumentos constantes nos índices de crimes contra o patrimônio. Para se ter ideia, em outubro deste ano, juntos, roubos a pedestre, a coletivos, a veículos, comércio, cresceram 56,7% em comparação com o mesmo período do ano passado.
A segurança é uma das áreas que enfrentam uma grave crise. Em junho deste ano, a Polícia Civil fez a operação “greve branca”. A categoria ampliou o movimento pela luta de melhorias salariais em setembro, com a operação legalidade, onde a instituição está com delegacias fechadas a noite, viaturas velhas, 47% de deficit no efetivo.
Na educação, a meta de universalizar a educação para crianças de 4 e 5 anos até o fim de 2016 não foi cumprida. Ficou para 2017. As escolas têm estruturas precárias e a prometida educação integral subiu no telhado.
A realidade das escolas públicas do DF preocupa. Algumas chegam a passar a impressão de que necessitam ser demolidas e totalmente refeitas. E os problemas não são novos, com péssimas infra estrutura, não tem quadra de esporte, alimentação não é adequada, não adianta nomear professores se a situação das escolas são precárias.

Quanto ao futuro politico, deixou um mistério no ar, disse que ainda não tem definição, mas esta disposta a qualquer custo lutar pelos direitos e por melhorias do nosso Distrito Federal.

Dep. Distrital Celina Leão, Ass. de Comunicação Laezia, Jornalista Ueliton Mello


Fonte: PeloMundoDF


sábado, 21 de outubro de 2017

InfoMedApp: Startup do DF lança aplicativo que informa condições de atendimentos nas emergências de Saúde

Mentores da ferramenta são profissionais, do Distrito Federal,  ligados à Saúde
Fonte: Google
Um grupo de profissionais de Saúde da capital do país começa os testes de uma ferramenta que deve se expandir em todo país. O InfoMedApp é um aplicativo para dispositivos móveis e foi criado para permitir que usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) possam obter informações sobre pontos de atendimento público nas unidades de saúde pública, que ofereçam atendimentos de urgências e emergências.
O InfoMedApp foi pensado para tentar auxiliar os usuários do SUS, na hora em precisam de atendimento de urgência ou emergência: conseguir atendimento, no menor tempo possível. Problema comum, em decorrência de superlotações e falta de profissionais, descobrir as unidades de pronto atendimentos, com fluxo rápido de atendimento deve se tornar mais fácil.
Problema esse que abrange cerca de 70% da população brasileira usuária do SUS, de acordo com Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) realizada pelo Ministério da Saúde (MS) em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Como funciona
Disponível, para dispositivos móveis com sistema operacional Android, a startup optou por trabalhar, inicialmente com usuários do Distrito Federal. Por meio do InfoMedApp é possível pesquisar as unidades de atendimentos de urgência e emergência, por especialidades, em toda capital do país.
O InfoMedApp permite a usuário, estabelecer um raio de alcance, referenciado por geomapeamento, das unidades a serem pesquisadas. Além de consultar as condições de atendimentos em cada uma delas, dados esses apontados por outros usuários e agentes de saúde pública, que utilizarem o aplicativo.
No caso dos agentes de saúde pública, uma interface administrativa deverá ser liberada em breve de modo que possam subsidiar a aplicativo com informações, a exemplo de escalas de médicos e condições de atendimentos.
Feedbacks
Os usuários do SUS também são parceiros estratégicos para o InfoMedApp, uma vez que, em um radio de 50 metros de uma determinada unidade de saúde é possível informar, por exemplo, hora da entrada no ponto de atendimentos e o tempo de atendimento médico efetivo, após a triagem para classificação de risco.
Além disso o sistema calcula automaticamente, a hora de entrada e de saída da unidade, também referenciado por geomapeamento. Isso deve permitir que outros usuários possam avaliar as condições de atendimento em um determinado ponto de saúde.
Tais dados também devem servir para a tomada de decisão de usuários do SUS, em condições de emergência ou urgência, quanto ao melhor deslocamento de modo a obter assistência em unidades com capacidade de atendimento.
Nasceu grande
O InfoMedApp foi um dos seis projetos escolhidos pelo Google, em parceria com a Colúmbia Global Centers, para apresentação do aplicativo, durante a ‘Des-conferência Hakeando a Burocracia no Setor Público’, realizada no Campus da Google (7) em São Paulo.
A BrazilLAB, aceleradora de projetos também demonstrou interesse em internacionalizar o InfoMedApp. A ideia é que o aplicativo concorra a prêmios internacionais, além de a startup participar de curso de aperfeiçoamento fora no país.
No meio acadêmico, o convite veio por parte da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) que se propôs a criar um seminário para que o InfoMedApp seja apresentado aos graduandos.
SERVIÇO: Aplicativo InfoMedAppSistema Operacional: Android com previsão, em breve para IOS
Onde baixar: https://play.google.com/store/apps/developer?id=InfoMedAppAbrangência: Distrito Federal com abertura para demais estados, em fase de atualização
Site do InfoMedApp:  https://www.infomedapp.com.brMais informações: Professor Nelson (61) 98131-8781

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Multas de trânsito poderão ser parceladas no cartão de crédito

Estive, hoje (21/4), com o diretor geral do Denatran, Elmer Vicenzi, com quem tratei da nossa Lei do parcelamento do pagamento de multas, no DF. 
Destaquei a importância da lei para os usuários, pois há mais de 300 mil carros inadimplentes e esta é uma solução para resolver o problema. Lembrei que quando nossa lei foi suspensa, nosso gabinete virou um call center, pois as pessoas que seriam beneficiadas , o diretor Elmer Vicenzi disse iria analisar a situação . Vamos também protocolar uma ação para que o Detran cumpra a resolução de implementar o App que resultará no desconto de 40 % das multas que foram pagas pelo Aplicativo .


Multas de trânsito podem ser parceladas. De acordo com a resolução 697 publicada nesta quarta-feira (18) pelo Contran, todos os Estados devem parcelar as multas de trânsito. Com isso, passa a valer no DF, lei de autoria da distrital Celina Leão, que já previa o parcelamento das multas.


Resolução do Contran libera pagamento com cartão de crédito ou débito, mas pode haver cobrança de juros das financeiras.


Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta quarta-feira (18) uma resolução que permite o pagamento de multas de trânsito com cartões de crédito ou débito.

O valor até poderá ser parcelado, mas com a devida cobrança de juros pela operadora financeira do cartão, como quando as compras a prazo não são parceladas pela própria loja.

A resolução já está em vigor, mas cada órgão de trânsito ainda precisa habilitar as operadoras de cartões para oferecer o serviço, que não é obrigatório.

Alguns Detrans e prefeituras já fazem parcelamentos por meio de documentos de arrecadação, geralmente com pagamento do primeiro boleto da dívida na hora da assinatura do termo de adesão.

De acordo com o diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Elmer Vicenzi, muitos proprietários faziam este tipo de parcelamento apenas para regularizar o veículo, obter o licenciamento ou permitir a realização de transferência, mas depois não pagavam o restante das parcelas.

Com a nova regra, cada órgão de trânsito (Detrans, prefeituras, Polícia Rodoviária, Der e Dnit) poderá habilitar empresas financeiras para oferecer a alternativa de pagamento por cartão e quitar dívidas dos proprietários de veículos.

Como o parcelamento será totalmente entre a operadora do cartão e o proprietário, o órgão de trânsito continuará recebendo o valor à vista, e a regularização do veículo será imediata - não será necessário esperar até a última parcela.
Antes, somente multas aplicadas em veículos registrados no exterior poderiam ser arrecadadas com cartões de crédito ou débito.

Fonte: G1.GLOBO